Homo Sapiens

Como Evoluímos?

 

Há quatro bilhões e meio de anos nosso planeta estava nascendo. Não havia vida biológica em sua superfície, pelo menos até onde pesquisamos. A evidências mais aceitas atualmente apontam para a Eobactéria (fóssil com 3,4 bilhões de anos) e estruturas calcárias formadas por algas azuis há 2,8 bilhões de anos, denominadas Estromatólitos


Há 540 milhões de anos apareceram os ancestrais de moluscos e artrópodes. 
Há 505 milhões de anos, os primeiros vertebrados: peixes sem mandíbulas.
Há 440 milhões, os primeiros invertebrados terrestres.
Há 410 milhões, os anfíbios e os insetos.
Há 360 milhões, os répteis e os insetos com asas.
Há 245 milhões, os primeiros mamíferos.
Há 210 milhões, os dinossauros.
Há 144 milhões houve a disseminação da botânica.
Há 65 milhões, os ancestrais dos primatas.
Há 22 milhões de anos os antropóides.
Há 8 milhões os primeiros HOMINIDAS !
Há 1,7 milhões, O HOMEM MODERNO !
Há 100mil anos, O HOMO SAPIENS !
Há 50 mil anos, O HOMO SAPIENS SAPIENS, NÓS!

 

DARWIN EM 1859 PUBLICOU A TEORIA DA ORIGEM COMUM: A ORIGEM DAS ESPÉCIES QUANDO AFIRMOU !


“TODAS AS PLANTAS E ANIMAIS DESCENDEM DE UMA ÚNICA FORMA PELA QUAL A VIDA DEU SEU PRIMEIRO ALENTO”

 


Seguiram-se suas Publicações:

 

- The Variation of Animals and Plants under Domestication (1868)

- The Descent of Man and Selection in Relation to Sex (1871)

- The Expression of the Emotions in Man and Animals (1872)

- Insectivoros Plants (1875)

- The Effects of Cross-and Self- fertilization in Vegetable Kingdom (1876)

- The different forms of Flowers on Plants of the Same Species (1877)

- The Power of Movement in Plants (1880)

- The Formation of Vegetable mold, through the action of Worms, With observations on Their Habits (1881)

 

NO MOMENTO ATUAL ACREDITAMOS NA ORIGEM COMUM E SELEÇÃO NATURAL QUE APOIA-SE EM TRÊS PILARES:


• ADAPTAÇÃO (SELEÇÃO)
• EXPANSÃO DA DIVERSIDADE (VARIEDADE)
• AUMENTO DA COMPLEXIDADE (FILOGENIA)


(Darwin C. A Origem das Espécies. São Paulo: Hemus;1973) (Gould S. J. Três Aspectos da Evolução. In: Brockman J., Matson K, organizadores. As Coisas São Assim: pequeno repertório científico do mundo que nos cerca. São Paulo:Companhia das Letras; 1997.p. 95-100.)

 

Os primeiros seres vivos eram organismos unicelulares (eobactérias), posteriormente grupo de células mais organizadas (eucariotas) e os organismos multicelulares com capacidade de reprodução que surgiram há aproximadamente 700 milhões de anos, em seres marinhos invertebrados. Após invadirem o meio marinho, vieram a constituir os precursores dos peixes há 570 milhões de anos.


(Gould S. J. The Book of Life. New York: W. W. Norton: 2001.) (Gibor A. Conditions For Life: readings from American Scientific. San Francisco: W. H. Freeman: 1976)

 

HÁ CERCA DE 400 MILHÕES DE ANOS, a integração das estruturas segmentares através dos neurônios de associação, passou a constituir, lentamente, a medula espinhal e no seu topo agrupamentos neuronais, iniciaram a formação rudimentos do tronco encefálico do hipotálamo e da formação reticular. O conglomerado celular do HIPOTÁLAMO provavelmente corresponde à porção filogenética mais antiga do encéfalo.


(Sarnat H. b., Netsky M. G. Evolution of the Nervous System. 2nd ed. New York: Oxford University Press; 1981.)

 


NESTA MESMA ÉPOCA (HÁ 400 MILHÕES DE ANOS), os vegetais começaram a cobrir o planeta.

HÁ 350 MILHÕES OS ANIMAIS MARINHOS, vieram a constituir os ANFÍBIOS E RÉPTEIS primitivos. Ao saírem do oceano, as necessidades de adaptação ao solo terrestre exigiu grandes mudanças funcionais e anatômicas. O OLFATO passou a ser a primeira modalidade sensorial de percepção do mundo externo e imprimiu o desenvolvimento dos LOBOS OLFATÓRIOS. Concomitantemente desenvolveram-se o COMPLEXO AMIGDALÓIDE e o HIPOCAMPO, que em conjunção com o HIPOTÁLAMO vieram constituir o que denominamos SISTEMA LÍMBICO ou estruturas límbicas (limbus : anel, amígdala : amêndoa, hipocampo : cavalo marinho).


( Heimer L. The Human Brain and Spinal Cord: functional neuroanatomy and dissection guide. 2nd ed. New York: Springer – Verlag: 1995.) ( Lockard I. desk reference for neuranatomy: a guide to essencial terms. New York: Springer- Verlag: 1977.)

 

Uma vez com o surgimento e o desenvolvimento das estruturas olfatórias, hipocampais e do complexo amigdalóide, a primeira modalidade de memória dos vertebrados foi a memória olfativa, que permitiu a eles identificar nutrientes, elementos venenosos, parceiros sexuais, presas e predadores. O ato terrestre de COPULAR, aparece pela primeira vez na evolução dos RÉPTEIS, intrinsicamente relacionado com as estruturas límbicas. Portanto, as conexões existentes entre as estruturas límbicas e o hipotálamo, principal coordenador da vida vegetativa, (autonômica) permitiram o desenvolvimento de sensações básicas como: a saciedade, o deseja sexual e o medo, primórdios da vida emocional.

 

HÁ 230 MILHÕES DE ANOS o neocórtex dos mamíferos, com aumento dos estímulos sensitivos (táctil, térmico, doloroso, gustação, audição e visão), requereu o desenvolvimento de uma estrutura receptora e integradora de todas estas aferências: OS TÁLAMOS, conglomerados de núcleos desenvolvidos na base de cada hemisfério.

 

O desenvolvimento dos tálamos ocorreu concomitante com o dos hemisférios cerebrais, gerando uma relação de interdependência entre o diencéfalo e o telencéfalo. Devemos ressaltar, que a única via aferente que se projeta diretamente sobre o córtex, sem passar pelo tálamo, é a via olfativa. Uma vez que esta modalidade sensorial, é filogeneticamente bem mais antiga que as estruturas talâmicas hemisféricas.


(Kandel E.R., Schwartz J.H., Jessell T.M., editors. Principles of Neural Science.3rd ed. New York: Elsevier: 1991.)

 



Copyright 2012 - AMBAN - Programa Ansiedade - Todos os direitos reservados - by Monndo.com